PDF -Estado de Pernambuco - alepepegovbr - Igreja Batista do Feitosa em Recife comemora 100 anos
Wait Loading...


PDF :1 PDF :2 PDF :3 PDF :4 PDF :5 PDF :6 PDF :7 PDF :8 PDF :9 PDF :10


Like and share and download

Igreja Batista do Feitosa em Recife comemora 100 anos

Estado de Pernambuco - alepepegovbr

Igreja Batista do Feitosa em Recife comemora 100 anos batistas OJB PDF 2013 OJB 35 pdf Igreja Batista do Feitosa em Recife comemora 100 anos Promotores de Missões são capacitados para campanha 2013 Durante todo o período de 28 de outubro de 2012 a 28 de outubro de 2013 a Igreja Batista do Feitosa está em festa

Related PDF

Igreja Batista do Feitosa em Recife comemora 100 anos

batistas OJB PDF 2013 OJB 35 pdf Igreja Batista do Feitosa em Recife comemora 100 anos Promotores de Missões são capacitados para campanha 2013 Durante todo o período de 28 de outubro de 2012 a 28 de outubro de 2013 a Igreja Batista do Feitosa está em festa Baseada no tema “Revivendo o ontem, vivendo o hoje, construindo o amanhã”, a Igreja celebra 100 anos de história
PDF

Boletim 18 11 2018 - pibcordigrejaconectadacom

pibcord igrejaconectada sig modulos site comunicacao membros fundadores em abril de 1969, o diácono Sebastião de Melo Com a ajuda e apoio de outras Igrejas do Recife, entre elas a Primeira Igreja Batista de Areias e a Igreja Batista do Cordeiro, além do esforço dos membros fundadores, entre abril e novembro de 1969 foi conseguido um terreno de 200 metros quadrados e foi
PDF

Lista de postos do Dia D de Vacinação Antirrábica 2016

2 recife pe gov br sites default files lista de Praça do Trabalho, Casa Amarela Igreja da Harmonia, Rua da Harmonia, Casa Amarela Praça do Largo da Feira, Casa Amarela Em frente aos Correios, Rua Padre Lemos, Casa Amarela Conselho de Moradores, Rua Alto Santa Izabel, Casa Amarela Igreja Batista, Rua Jaguarana, s n Alto do Mandu
PDF

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS

repositorio ufpe br bitstream 123456789 4218 1 Aos irmãos e amigos em Cristo da Igreja Evangélica Batista da Várzea e da Primeira Igreja Batista do Engenho do Meio; Aos componentes do 2º Departamento de Direito Público especializado, da Faculdade de Direito do Recife UFPE, representados aqui pela extraordinária pessoa de sua ex chefe, Professora Doutora Eugênia Barza
PDF

PREFEITURA DA CIDADE PCR promove ações no Outubro Rosa e

200 238 105 211 PrefeituradoRecife(20161001) pdf de 01 (uma) unidade habitacional no Conjunto Habitacional Vereador Miguel Batista (H 07), no âmbito do Programa de Aceleração do Crescimento PAC Beberibe em conjunto com a Prefeitura do Recife Secretaria de Saneamento, conforme o contido no Ofício nº 202 2016 SE SESAN e na CI nº 083 2016, da Gerência Geral de Desenvolvimento Social SESAN
PDF

Distrito Sanitário I - Prefeitura do Recife

2 recife pe gov br sites default files lista USF Santana, Praça do Trabalho, Casa Amarela Igreja da Harmonia, Rua da Harmonia, Casa Amarela Praça Joca Leal (Feira de Casa Amarela), Casa Amarela Em frente aos Correios, Rua Padre Lemos, Casa Amarela Conselho de Moradores, Rua Alto Santa Izabel, Casa Amarela Igreja Batista, Rua Jaguarana, s n , Alto do Mandu
PDF

EBD é um programa e não JMN e JMM avançam com o uma

batistas OJB PDF 2014 OJB 16 pdf Igreja Batista do Feitosa – Recife, PE Exemplo a ser seguido • O artigo do meu queri do amigo e pastor Francis co Barros, intitulado “Amor à Vida”, do dia 16 3 14, relacionado à Igreja Batista em Cel Antonino, Campo Grande, MS, representa a vida de uma igreja que vive aos pés da cruz Tive o privilegio de conhecer àquela igreja
PDF

XXII - Convenção Batista Nacional

cbn br downloads historiadosbatistasnacionais pdf mar, foi a Convenção Batista do Estado de Minas Gerais, em 1961, logo após a exclusão da Igreja Batista da Lagoinha, na As sembléia da Convenção Batista Mineira em Juiz de Fora Esta nova Convenção Estadual, formada pelas igrejas que não con cordaram com a exclusão da Igreja Batista da Lagoinha e optaram
PDF

wwwcbnorgbr

cbn br obn 1971 JUNHO pdf usta em Nova Descoberta (Recife — PE), nossos do Nordeste comemoraram festivamente, com um Culto de Açáo de Graças, 0 3 ' aniversário da CBMN Seu atual é jovcm muitO dinármco e capaz — o Pastor Eclé Sio Menezes de Lima Mais de 130 Batismos Uma só Igreja conseguiu este sur preendente resultado Trata Se da Igreja Batista em
PDF

Estado de Pernambuco - alepepegovbr


PDF

A Igreja católica teve uma participação na formação econômica, social e religiosa do Brasil colônia, e neste contexto esteve ligada a escravização de índios e  católica ao sistema de escravidão negra, especificamente ao que vigorou no Brasil como a Igreja Católica e até mesmo de

  1. o papel da igreja frente à escravidão indígena e africana nos
  2. A IGREJA CATÓLICA E A ESCRAVIDÃO NEGRA
  3. a legitimação teológica do sistema de escravidão negra no
  4. A IGREJA E A ESCRAVIDÃO
  5. Abolição e catolicismo a participação da Igreja Católica na extinção
  6. Alonso de Sandoval e a defesa da escravidão
  7. entre a escravidão e a liberdade Franca-São
  8. Visões Protestantes Sobre a Escravidão
  9. Os africanos e as apropriações das representações católicas sobre
  10. escravidão

2 jun 2018 Jornal Oficial da Igreja Metodista | Junho de 2018 ano 132 | nº 6 | Distribuição Gratuita ENTREVISTA congregação da Igreja Metodis Coral Metodista de Itaberaba, São Paulo, entoando a canção “Jesus Salva”

  1. Igreja Metodista
  2. TEDE2 da UNIVERSIDADE METODISTA DE
  3. universidade metodista de são paulo
  4. Igreja Presbiteriana Ebenézer de São Paulo
  5. A Igreja Católica na Bahia
  6. congregação da Igreja Metodis
  7. Coral Metodista de Itaberaba
  8. Igreja Luterana Igreja Metodista
  9. organizou-se a Igreja Congregação Cristã
  10. em Itaberaba

IGREJA PRESBITERIANA DE ALTO JEQUITIBÁ. Ano: 2011

Hábito de leitura da Bíblia: Um legado da Reforma - UFJF

ocorrido ainda no século XVI, a vinda deles ao Brasil é atribuída ao ano de 1810 caso da Igreja Presbiteriana de Alto Jequitibá, que atendia outras cidades  de Alto Jequitibá MG Art 1 A Igreja Presbiteriana do Brasil

  1. Igreja Presbiteriana Semear
  2. Relatorio Anual IPB 2017_03_05_2018
  3. Tesouraria IPB
  4. Igreja Presbiteriana Ebenézer de São Paulo
  5. Igreja Presbiteriana de Francisco Morato
  6. constituição da igreja presbiteriana do brasil
  7. UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE
  8. A HISTÓRIA DA ATIVIDADE MUSICAL NA IGREJA
  9. universidade presbiteriana mackenzie escola dominical
  10. Universidade Presbiteriana Mackenzie Centro de Educação

IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL

A Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB) - Anpuh

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, nós, legítimos representantes da Igreja Cristã Presbiteriana do Brasil, reunidos em Supremo Concílio, no ano de   17 jul 2010 Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil – SC IPB Uniting Presbyterian Church in Southern

  1. constituição da igreja presbiteriana do brasil
  2. igreja presbiteriana do brasil
  3. Igreja Presbiteriana Semear
  4. ASSEMBLEIA GERAL DA IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL
  5. IGREJA PRESBITERIANA DE CUIABÁ MANUAL DO MEMBRO
  6. Igreja Presbiteriana de Francisco Morato
  7. As relações de trabalho na Igreja Presbiteriana do Brasil
  8. A Igreja Presbiteriana do Brasil
  9. Igreja Presbiteriana no Brasil e na Bahia
  10. PRESBITERIANA EM

IGREJA PRESBITERIANA UNIDA DE SÃO PAULO. Pastores

IGREJA EVANGÉLICA PRESBITERIANA DE PORTUGAL

IGREJA PRESBITERIANA UNIDA DE SÃO PAULO 26 08 1900 01 01 2017 Boletim Dominical Tema do Ano “Uma Igreja Lure para servir" Boletim n° 4731 8 set 2015 ―Coleção Simonton‖, que foi doada ao Seminário Presbiteriano

  1. A HISTÓRIA DA ATIVIDADE MUSICAL NA IGREJA
  2. Igreja Presbiteriana Unida de São
  3. IGREJA PRESBITERIANA UNIDA COREANA DE SÃO PAULO São
  4. Igreja Presbiteriana Ebenézer de São Paulo
  5. As relações de trabalho na Igreja Presbiteriana do Brasil
  6. IGREJA PRESBITERIANA DE CUIABÁ MANUAL DO MEMBRO
  7. universidade presbiteriana mackenzie centro de educação
  8. igreja presbiteriana do brasil
  9. IPB
  10. IGREJA EVANGÉLICA PRESBITERIANA DE PORTUGAL

Igrejas reassumem o compromisso de acelerar a resposta ao HIV

Sob os signos da Esperança e da responsabilidade - SciELO Livros

a) A Igreja, sinal e tutela da transcendência da pessoa humana b) Igreja, Reino de II DOUTRINA SOCIAL E COMPROMISSO DOS CRISTÃOS LEIGOS mudar as suas exigências permanentes, que se reassumem no respeito dos direitos A assunção de uma tal

  1. 352ndio da Doutrina Social da Igreja
  2. padroado sobre algumas Igrejas diretamente
  3. reassumindo a sua “primitiva autoridade”
  4. compromisso com o ministério sacerdotal
  5. fazendeiros ou de santos referendados pela Igreja Católica
  6. A escola tem como principal compromisso com a comunidade
  7. coronelismo reassumem o poder
  8. a escola se encarrega de acelerar o desenraizamento
  9. o compromisso com a não-coincidência entre
  10. Observa-se a pertinência das políticas educacionais no sentido de acelerar

IGUALDAD Y LIBERTAD EN LA EDUCACIÓN OBLIGATORIA: LA EXPERIENCIA COMPRENSIVA

la educación como herramienta para la igualdad y la no

PDF igualdad y libertad en la educación obligatoria Core core ac uk download pdf 83566079 pdf PDF Libertad e igualdad en la educación princeton edu Libertad 20e 20igualdad 20en 20la 20educacion pdf

igubal rod ends igubal Rod Ends

documentation of plastic plain bearings - Elcee

igubal® puts a complete system of self alig n ing bearings – spherical bearings, pillow block spherical bearings and rod ends – at the developer's fingertips between a steel rod end bearing and a plastic rod end bearing Design housing Specifically, igubal® plastic rod ends

  1. Plastic Versus Steel Rod Ends Bearings
  2. igubal Rod End Bearings
  3. igubal
  4. Rod End Bearings
  5. Rod Ends
  6. pillow block spherical bearings and rod ends
  7. Whether as a rod end
  8. KARM igubal
  9. Rod End
  10. as a rod end

8 nov 2013 longo dos anos, contribuindo de forma significativa para o seu sucesso Em particular, IHC no ensino técnico dois relatos de experiência formação 5, 6 Este artigo apresenta a prática de ensino de IHC em dois cursos de

  1. Workshop sobre Ensino de IHC
  2. Relato das experiências da área de IHC nos cursos de graduação e
  3. V Workshop sobre Ensino de IHC
  4. UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO
  5. Ensino de IHC
  6. Uma Estratégia de Suporte à Educação em IHC
  7. Projeto Pedagógico do Curso Técnico em Informática
  8. Framework de IHC para o desenvolvimento de sistemas
  9. plano de ensino
  10. conhecimento técnico
Home back Next

Description

ISSN 1679-0189

01/09/13

Órgão Oficial da Convenção Batista Brasileira

Fundado em 1901

Ano CXIII Edição 35 Domingo,

Igreja Batista do Feitosa em Recife comemora 100 anos

Durante todo o período de 28 de outubro de 2012 a 28 de outubro de 2013 a Igreja Batista do Feitosa está em festa.

Baseada no tema “Revivendo o ontem,

a Igreja celebra 100 anos de história.

Cada mês um dos pastores,

estão sendo convidados para voltar,

os membros afastados ou que estão em outras igrejas são convocados a participarem da comunhão cristã,

e as crianças têm sido trabalhadas para construírem a história do amanhã (pág.

Promotores de Missões são capacitados para campanha 2013 Às portas de mais uma campanha missionária,

os promotores de missões participaram de encontros e acampamentos com o objetivo de conhecer o material da nova campanha e novas ferramentas para envolver ainda mais suas igrejas com a obra missionária (pág.

01/09/13

EDITORIAL O JORNAL BATISTA Órgão oficial da Convenção Batista Brasileira.

Semanário Confessional,

Fundado em 10.01.1901 INPI: 006335527 | ISSN: 1679-0189 PUBLICAÇÃO DO CONSELHO GERAL DA CBB FUNDADOR W.E.

Entzminger PRESIDENTE Luiz Roberto Silvado DIRETOR GERAL Sócrates Oliveira de Souza SECRETÁRIA DE REDAÇÃO Arina Paiva (Reg.

Profissional

por todos os textos publicados.

Perante a denominação batista,

as colaborações assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam,

DIRETORES HISTÓRICOS W.E.

Entzminger,

Detter (1904 e 1907)

Watson (1920 a 1925)

Theodoro Rodrigues Teixeira (1925 a 1940)

Moisés Silveira (1940 a 1946)

Almir Gonçalves (1946 a 1964)

José dos Reis Pereira (1964 a 1988)

Nilson Dimarzio (1988 a 1995) e Salovi Bernardo (1995 a 2002) INTERINOS HISTÓRICOS Zacarias Taylor (1904)

Dunstan (1907)

Salomão Ginsburg (1913 a 1914)

Hites (1921 a 1922)

Christie (1923).

ARTE: Oliverartelucas IMPRESSÃO: Jornal do Commércio

Eu vivo para a glória de Deus /o/

ais um mês de setembro chegou,

é hora da campanha de missões nacionais

! Promotores já devidamente preparados,

igrejas já começam a ornamentar seus templos,

professores das crianças ensinam o versículo e o tema da Campanha 2013,

jovens se encantam pelos projetos desenvolvidos e missionários visitam as igrejas e dão o privilégio aos membros de conhecerem suas experiências no campo.

Qualquer cristão que frequenta uma igreja batista sabe como fazer missões,

todos podem servir através de missões.

E neste ano a campanha traz um tema que exige um verdadeiro comprometimento: “Eu vivo para a glória de Deus”.

Quem terá coragem de vestir uma camisa com esta frase

? Quem tem coragem de viver para a glória de Deus

? Quem tem coragem de se comprometer com a vontade de Deus,

deixando de lado suas próprias vontades

? Esta frase não pode ser vestida sem atitude,

não faz nenhum sentido.

Um dos conceitos que estão sendo trabalhados é o de Evangelização Discipuladora.

Um conceito que visa dar a compreensão correta da Grande Comissão,

enfatizando que evangelizar não é só proclamar o nome de Jesus,

Sendo assim a evangelização discipuladora propõe que fazer discípulos é uma ação completa que vai desde o anunciar (compartilhar Jesus com alguém),

aprofundar relacionamento discipulador,

agregar a pessoa na igreja e levá-la à maturidade espiritual (o aperfeiçoamento dos santos de que a Bíblia fala).

Outra ênfase é a ação social,

a JMN promove a ressocialização em vários âmbitos: assiste menores em situação de vulnerabilidade social,

presidiários e seus familiares,

apoia grupos minoritários como surdos e ciganos

entre outras ações realizadas por meio de frentes missionárias espalhadas pelo país.

Atualmente,

projetos que visam recuperar dependentes químicos,

retirando-os das ruas e dando uma nova perspectiva de vida,

As etnias também são alcançadas através de Missões

Quanta emoção

! • Ao receber o Jornal Batista na sexta-feira (16.08),

fui surpreendido pela lembrança e,

ao ler a intocável matéria intitulada “O jogo de cena da visita do Papa”,

da lavra do eminente pastor Isaltino Gomes de Oliveira Filho.

Numa peça equilibrada entre sentimentos pessoais,

crítica ao liberalismo das igrejas,

o insigne obreiro disse o que precisava ser dito e que,

Nos idos de 1980,

estando à frente do Jornal Batista o saudoso pastor José dos Reis Pereira,

assessorado pelo jornalista e amigo Othon Ávila Amaral,

em sua maioria voltados aos dogmas do catolicismo romano,

à luz da Bíblia Sagrada.

Não era (nem é),

Nacionais.

A visão do projeto Etnias no Brasil é ser o movimento que reconhece a importância das mais de 220 etnias aqui representadas e oferece apoio integral nas áreas de compaixão e justiça,

com a missão de alcançar estas nações a partir da pátria brasileira,

acolhimento e assistência que promova integração social e reconciliação com Deus.

Cada estrangeiro alcançado torna-se um potencial evangelizador de seu próprio povo e não se pode perder esta oportunidade,

principalmente quando se trata de nações que são fechadas ao evangelho.

Com esta visão,

missões nacionais já implantou trabalhos com ciganos,

árabes,

Não é de hoje que o esporte vem sendo usado como ferramenta evangelística nos campos missionários,

Aliado a esta realidade e à realização de eventos esportivos de grande porte no Brasil nos próximos anos,

a Junta de Missões Nacionais desenvolveu seu programa esportivo missionário

Ca do rtas s'le ed ito ito [email protected] ba r tis tas es .co m

mas um desejo ardente para que aqueles que os lessem pudessem entender o “E conhecereis a Verdade e a Verdade Vos libertará” (Jo 8.32).

falava dos negativos dividendos espirituais que tal visita acarretaria para

um povo já afastado da Palavra de Deus.

Curiosamente,

escrevi às pressas uma outra matéria,

enquanto o Papa estava por aqui,

sob o título “João de Deus”.

Mas ele já se tinha ido.

Foi sugerido a inclusão da frase “Uma carta que não foi enviada” a fim

As mensagens enviadas devem ser concisas e identificadas (nome completo,

OJB se reserva o direito de publicar trechos.

As colaborações para a seção de Cartas dos Leitores podem ser encaminhadas por e-mail ([email protected]),

fax (0.21.2157-5557) ou correio (Caixa Postal 13334,

CEP 20270-972

- RJ).

BRASIL

- Igreja,

Esporte e Missões.

O programa tem dois focos de ação: evangelizar brasileiros e estrangeiros nos grandes eventos esportivos,

capacitar e mobilizar as igrejas para a evangelização por intermédio do ministério esportivo.

A nova geração não poderia ficar de fora.

Pensar em evangelizar crianças é pensar numa estratégia eficaz de levantar uma nova geração que ame e honre ao Senhor em todos os seus caminhos.

Missões Nacionais tem trabalhado em muitas frentes para que crianças sejam alcançadas pelo evangelho transformador.

Além de capacitar as igrejas para este trabalho com o programa Crianças para Jesus,

há décadas vem trabalhando também com os lares batistas.

Os PEPE’s são outra frente de trabalho para alcançar os pequeninos e nos campos,

os missionários também estão sempre atentos às oportunidades de anunciar as Boas-Novas a este grupo tão expressivo.

Participe também deste grande projeto e diga com convicção: “Eu vivo para a glória de Deus

!” (AP) www.vivoparaagloriadedeus.com de que a oportunidade temporal fosse preservada.

E assim foi.

Aproveitando o imerecido epíteto

no intenso marketing da Sua igreja,

fazia-lhe questionamentos diretos como,

se você é de Deus com que autoridade se autodenomina o ‘Vigário de Cristo’,

usurpando um título que lhe não pertence

Mas verdadeiras.

E agora lendo todo este “jogo de cena” da visita papal,

augurando que escritos deste jaez,

estejam mais presentes em o nosso Jornal Batista,

motivando os crentes à proclamação da mensagem maior: “Só Jesus Cristo Salva

Moysés Magno Lima Membro da SIB do Rio de Janeiro

01/09/13

MÚSICA Rolando de Nassau

(Dedicado ao leitor Osvaldo Ronis)

Moen’s Medley

ara permitir o livre desenvolvimento do projeto de recuperação do Templo Memorial,

que há mais de 50 anos vem sendo usado para a celebração de cultos,

desde 09 de junho de 2013 o Auditório é o novo local para as reuniões da Igreja Memorial Batista.

Apropriadamente,

em 1990 o pastor Éber Vasconcelos sussurrou sua antiga aspiração de que o Auditório servisse para a realização de eventos culturais.

Em 23 de junho ocorreu a estreia da cantata “Deus é por nós”,

executada pelo Coro Memorial e pelo Coro “Mensageiros da Paz” e assistida,

Cantata é uma forma musical,

A cantata de igreja usa texto bíblico e apresenta árias,

Na cantata,

No período barroco (16001750),

a cantata era o gênero mais importante da música vocal e o principal elemento da música-de-culto na igreja luterana.

O categórico estilo barroco aproximava as pessoas dos temas sacros.

A cantata sacra constitui o núcleo da música vocal de Bach

ele compôs cerca de 300 cantatas.

Peças de destinação modesta,

confiadas a intérpretes medíocres e oferecidas a paroquianos ignorantes,

“são a mais alta expressão do gênio musical e do sentimento religioso de Bach” (Roland de Candé,

Jean-Sébastien Bach.

Paris: Seuil,

1984).

As cantatas de Bach (16851750) eram executadas por grupos pequenos

para execução de uma cantata,

de 12 cantores e 15 instrumentistas

o número de executantes subia de 27 para 40.

As letras eram hauridas no “Gesangbuch” (hinário),

escritas por poetas convidados por Bach.

Sua obra é multifacetada

expressa os muitos graus de alegria e de tristeza,

porque é uma obra de arte erudita.

Você ouve melhor de olhos fechados.

Quanto à cantata de Donald James Moen (1950- ),

preferimos classificá-la de “medley” (miscelânea),

pois é uma mistura de variadas letras de hinos e cânticos

Processional dos coros reunidos que apresentaram a miscelânea de Don Moen

trata-se de música não-erudita,

para ouvintes menos exigentes.

Uma nostalgia pode conduzir,

inclusive os compositores evangélicos de música popular,

que dilui os temas sacros para satisfazer as frivolidades das pessoas,

bem atendidas pelo cinema (filmes),

pela televisão (novelas) e internet (Facebook).

Almir Chediak selecionou e editou “songbooks” de compositores populares (Noel Rosa,

Dorival Caymmi,

Chico Buarque de Hollanda,

Tom Jobim,

Vinicius de Moraes,

Caetano Veloso,

Ivan Lins,

Alceu Valença,

Raul Seixas e outros).

Também Don Moen fez seus “songbooks”,

para os quais compilou as letras de uma espécie de “trilogia de canções de louvor”: 1) “God With Us” (Deus conosco)

Cantor e letrista,

para elaborar “God For Us” Don

Moen teve a colaboração de Tom Fettke (1941- ),

“Deus por nós” foi lançada pela “Integrity” em outubro de 2010,

Na Memorial foi feita uma adaptação,

contendo somente 10 canções.

Além de Don Moen (“We’ve Come to Bless Your Name” e “God Is Good”),

encontramos canções de Walt Harrah (“Think About His Love”),

Michael Smith (“Awesome God”).

Matthew Bridges-Godfrey Thring (“Crown Him with Many Crowns”),

Reginald Heber (“Holy,

holy”) e William Reynolds(“Share His Love” as traduções foram feitas por Joel Santana (“Pense em Seu amor) e Ronaldo Peryles (as demais)

para “Nosso Deus é tremendo”,

também existe a de Karen Kremes,

muito próxima do original inglês.

Os arranjos musicais,

Auditório “Éber Vasconcelos”,

durante a apresentação da “Moen’s Medley”

Enquanto aguardávamos o DVD e as fotos (Rosber Neves Almeida e Edsom da Silva Leite,

rascunhamos nossas impressões sobre a obra,

que são confirmadas neste artigo.

A obra coletiva (Moen-Fettke-Kirkland) é monotemática e monocórdia

são raras as oportunidades do coro e da orquestra para expressão emocional.

A monotonia é disfarçada pelo ritmo

Kirkland usou o recurso da síncope para evitá-la.

A miscelânea transmite ao coro,

à congregação e à orquestra uma inadequada pulsação,

expressa por palmas ritmadas e expressão corporal.

Um grande coro atrai a curiosidade visual do público,

mesmo que a música o deixe alheio às nuanças sonoras.

A pobreza artística da obra,

pode ser remediada pelo exaltado entusiasmo dos executantes.

O arranjador adotou um procedimento técnico,

colocando na miscelânea uma “abertura instrumental”.

Entre 200 cantatas sacras,

somente para 24 Bach compôs peças instrumentais de introdução

nas outras 176 não encontramos “aberturas”.

Don Moen socorreu-se de um recurso extra-musical ao incluir na miscelânea uma narração,

com o objetivo de atingir a mente e o coração do ouvinte.

O primeiro cuidado deveria ter sido a procura de um elemento que pudesse impressionar o público,

não pela imagem de um coro disciplinado,

mas pela audição de belas melodias

a busca de um apelo emocional para inspirar os executantes e o público.

Geralmente,

na composição de uma cantata erudita estes cuidados são observados.

01/09/13

GOTAS BÍBLICAS NA ATUALIDADE

OLAVO FEIJÓ Pastor,

Anunciar tudo da nova vida

Valdo Romão Diretor Executivo da CBESP

Não é difícil associar a palavra gigante ao nosso querido Brasil.

Todos reconhecem o seu gigantismo.

Quer seja sob o ponto de vista territorial como o da sua potencialidade em tantas áreas.

O Brasil é grande.

Aliás,

escrito por Joaquim Osório Duque Estrada,

Diz a letra: “Gigante pela própria natureza”.

Numa outra parte da letra do hino,

escreveu o autor: “Deitado eternamente em berço esplêndido,

ao som do mar e à luz do céu profundo”.

Alguns já se referiram ao Brasil como um gigante que precisa despertar.

Será que ele acordou

Agitos dão indicações de que isso tenha acontecido.

Desde o último mês de junho,

a sociedade brasileira vem presenciando diversas manifestações de rua.

São várias as bandeiras.

Muitas são legítimas.

Afinal,

quem pode concordar com a corrupção que tira o oxigênio da saúde,

? Quem pode concordar com o distanciamento que há entre o povo e os que ocupam as funções do poder

? As ruas se agitaram com a presença do povo.

Parecia que tudo se resumia às questões políticas.

E isso não se confirmou.

Até que chegou ao Brasil o Papa Francisco.

Agito total.

A Jornada Mundial da Juventude,

foi marcada como um acontecimento que mostrou um povo carente,

e a carência vista é de natureza espiritual.

Vimos jovens tocados pelas atitudes de um homem,

que foi descrito como humilde,

Um homem que se apresentou sensível à causa dos pobres.

Andou num carro simples.

Abriu suas janelas.

Não quis vidros à prova de balas no seu papa-móvel.

Essas atitudes foram destacadas pela imprensa.

Por isso ganhou a simpatia das ruas.

E as ruas se agitaram.

Ninguém pode negar que o agito teve ares de espiritualidade.

É bem verdade,

uma espiritualidade à moda da Igreja Romana.

Com um evangelho lido em muitos momentos,

mas permeado por uma liturgia que anulava a pessoa de Jesus.

Palavras extraídas da Bíblia.

Conceitos cristãos.

Todos atropelados pela tradição da igreja com os seus dogmas e a devoção à Maria.

Corações agitados.

Lágrimas vertidas.

Espíritos não saciados.

Que pena

Sua ausência deixou para muitos o vazio.

Agora,

A agitação

Tudo volta a ser como antes.

Diante de todos,

os agitos que o Brasil tem vivido desde junho último.

Que lições podemos tirar como povo de Deus

? Entendo que precisamos nos agitar.

Os nossos olhares sobre tudo o que temos visto não podem deixar de produzir uma reação.

Assistir a tudo e permanecer inertes aos agitos da rua é,

O que aí está deve nos agitar.

O povo de Deus precisa tomar uma posição.

Temos a mente de Deus.

Dele recebemos instruções.

Não podemos ver o nosso povo sair pelas ruas levantando bandeiras para que haja mais justiça social e ficarmos alheios como se nada tivéssemos com isso.

Esses agitos devem nos atingir.

Ver uma multidão de jovens atrás de um líder da forma como vimos nesses dias,

acampando debaixo de um clima hostil,

marcado pela presença do frio e chuva,

em busca do preenchimento da alma,

não pode deixar de ter a nossa atenção.

Há um clamor.

Tudo isso mostra que devemos muito à nossa gente.

Temos uma mensagem.

Ela é cristocêntrica.

Apresenta Jesus,

a única esperança para o homem e a mulher,

resos por terem testemunhado sobre Jesus,

um anjo liberta os apóstolos e lhes comanda: “Vão para o Templo e anunciem ao povo tudo a respeito desta nova vida” (Atos 5.20).

Ao vivenciar o fato histórico do Jesus ressuscitado,

os discípulos tiveram a aula suprema sobre a realidade da morte e a vitória da vida.

Finalmente,

eles entenderam que sua missão não era pregar uma nova religião,

mas dizer ao mundo que em Jesus Cristo passamos a experimentar uma “nova vida”.

E Eu dou “vida e vida com abundância”.

Ao dizer aos discípulos para anunciar “tudo”,

“a respeito desta nova vida”,

o anjo sintetiza a missão dos apóstolos e a nossa missão

como discípulos contemporâneos.

Quando nos encontramos espiritualmente com Cristo,

“passamos da morte para a vida”.

Em função deste encontro,

assumimos o compromisso do “ide” e recebemos o privilégio de compartilhar com um mundo morto a incompreensível realidade da vida “em Cristo”.

Vida tão poderosa e extensa,

que se infiltra no nosso corpo,

Quando nos esquecemos de introduzir Cristo em algum detalhe de nossa existência,

de alguma forma o Senhor providencia um anjo,

para nos relembrar que temos que anunciar ao povo tudo a respeito desta nova vida.

É isto que somos: anunciadores e testemunhas da nova vida em Cristo.

não importa a sua idade.

ó tu que dormes,

levanta-te de entre os mortos,

O texto é o de Paulo aos Efésios 5.14.

Precisamos deixar o comodismo,

Atentemos ao que ela nos pede,

nos primeiros versos desse mesmo capítulo: “Sede,

Deus como filhos amados,

como também Cristo nos amou e se entregou a si mesmo por nós” (vs.

1 e 2a).

A presença de Jesus,

para realizar a Sua obra entre nós,

E a expectativa dele para a Sua Igreja é a mesma.

Precisamos provocar um alvoroço.

Uma verdadeira agitação.

Você concorda comigo

01/09/13

PARÁBOLAS VIVAS

João Falcão Sobrinho

Mala perdida Levir Perea Merlo Pastor da PIB em São Caetano,

PE “E ele morreu por todos,

para que os que vivem não vivam mais para si,

mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou” (II Coríntios 5.15).

urante o mês de se t e m br o c'e le bramos a terceira campanha missionária,

última do ano no calendário da denominação.

Missões Nacionais traz um tema bem sugestivo para os servos do Senhor: “Vivo para a Glória de Deus” e texto acima exposto.

O alvo de 15 milhões de reais parece desafiador,

mas se for bem assimilado pelas mais de sete mil igrejas e congregações espalhadas pelo nosso Brasil,

não será tão difícil alcançar e até ultrapassar.

Mas queremos direcionar nosso foco para a geração eleita,

que vive um cristianismo verdadeiro,

e a certeza no coração que os verdadeiros salvos pela graça

hão de dar uma resposta positiva nesse esforço missionário para arrecadar fundos,

não apenas na campanha,

mas primeiro se darão para a obra e para a glória do Senhor

! Por que deverão fazer assim

? Porque a palavra de Deus é verdadeira e provoca nos eleitos do Senhor um desejo ardente no engajamento para a expansão do Reino de Deus na Terra.

No versículo exposto acima,

Paulo,

exemplo de servo e missionário escolhido desenvolve o grande mistério revelado da humanidade e da fé cristã: A morte e ressurreição do Senhor.

Ele reafirma categoricamente que Jesus Cristo morreu para toda a humanidade,

não é para alguns e muito menos para um povo específico.

Apesar de que nem todos serão salvos da perdição eterna,

não porque o Senhor não queira (a vontade de Deus é que todos se salvem – João 6.40

I Timóteo 2.4),

mas por conta da dureza de coração.

Ele deu a sua vida para salvar a todos.

Apesar de que nem todos abrem os seus corações,

muitos entregaram suas vidas ao Senhor em profundo ato de humilhação e obediência,

tornaram-se geração eleita (I Pedro 2.9).

Vivendo não mais para si mesmo,

mas sim para a glória de Deus.

Viver para a glória de Deus nesse contexto tem o sentido de vida altruísta.

A verdadeira geração eleita e sua nova natureza não deve ser egoísta,

aliás o egoísmo gera uma série de anomalias próprias da nossa natureza caída e corrompida.

Uma delas é a avareza que a palavra de Deus trata como idolatria (Colossenses 3.5).

Por outro lado a geração altruísta é bondosa,

é serviçal e produz fruto digno de arrependimento.

E o mais importante,

ela o faz para a glória de Deus.

O seu lema é o mesmo de Paulo: “não mais eu,

mas Cristo vive em mim” (Gálatas 2.20).

Avante geração eleita

! Vivendo para a Glória do Pai através do Senhor Jesus Cristo

Tem pedra no seu caminho

? Antonio Luiz Rocha Pirola SIB em Linhares,

Espírito Santo

edras representam obstáculos que prejudicam a caminhada cristã.

Todo crente devia se livrar delas,

mas infelizmente muitos preferem juntá-las,

e até deixá-las com uma aparência bonita para que sejam uma boa justificativa,

só que elas continuam sendo pedras que atrapalham a vida cristã.

Se o Diabo perceber que você gosta de pedras,

ele vai transformar você num grande colecionador,

e lhe dará todos os dias muitas pedras para afastá-lo das coi-

sas de Deus e dos cultos de sua igreja.

Não se acomode dentro de casa,

e não permita que o Diabo ou qualquer outra pessoa coloque pedras na sua vida.

Não permita que coisas pequenas se transformem em obstáculos permanentes para o seu crescimento espiritual.

Muitos abandonam a igreja,

porque se acostumam com as pedras.

Dar brilho nas pedras para justificar sua falta de compromisso não facilitará sua vida cristã.

Remova as pedras

Se você tirar as pedras que impedem sua vida cristã,

Jesus renovará sua vida

e finalmente você poderá sair do túmulo da preguiça,

da falta de fé e da negligência para com as coisas de Deus.

Diga para o Diabo que o seu Deus é Jesus.

Diga para o Diabo que nenhuma pedra terá o poder de fazê-lo abandonar a sua igreja,

a sua fé e a sua caminhada com Deus.

buscai primeiro o reino de Deus,

e todas estas coisas vos serão acrescentadas (Mateus 6.33).

E não sede conformados com este mundo,

mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento,

para que experimenteis qual seja a boa,

e perfeita vontade de Deus (Romanos 12.2).

osso neto Rafael voltava de Vitória,

Daisy e os dois filhinhos do casal,

passando férias do seu trabalho de engenheiro de uma multinacional francesa em Johor Bahru,

Embarcou num voo para São Paulo,

passou para um avião da Air France rumo a Singapura com transbordo em Paris.

Ao desembarcarem em Singapura,

! Das cinco malas despachadas em Vitória,

Procuraram o balcão da Air France com os tickets à mão e registraram a reclamação.

Uma das malas ficara em Guarulhos e foi devolvida no dia seguinte.

Da outra,

que continha mais de mil reais de remédios do Cauan e muitas roupas da Taís,

inclusive os vestidinhos feitos com muito carinho pela vovó Edinéa,

não houve notícia.

Rafael foi informado de que se a mala não fosse localizada em dez dias,

seria dada como perdida e ele receberia uma indenização de 500 dólares.

O prejuízo financeiro era o de menos.

O pior era a frustração da Taís,

que tem apenas cinco anos e ficou muito triste porque na mala perdida estavam os vestidinhos de princesa e de Branca de Neve que a vovó fizera.

Daizy e Rafael começaram a orar suplicando que Deus trouxesse para eles a mala perdida.

Pelo Skype,

quando Edinéa prometeu fazer outro vestido de Branca de Neve,

Taís deu um recado: “Não se preocupe,

eu tenho aquele” (o que estava na mala extraviada).

Era a certeza de que Deus traria a mala de volta.

Deus,

sabia onde estaria aquela mala e eles esperaram em Deus.

Muitas pessoas já perderam suas malas em viagens aéreas e jamais as recuperaram,

mas eles entregaram o problema nas mãos de Deus e descansaram.

Os avós Donaldo e Edinéa em Vitória,

todos estavam em oração para que Deus localizasse aquela mala e a trouxesse de volta.

Os dias foram passando,

Rafael sempre mantendo contato

com a empresa aérea e nada de a mala aparecer.

Quinze dias depois,

Daisy estava em casa