PDF- Uso de Filmes como Recurso -relato de experiência: o filme como uma estratégia - Editora Realize - O uso de filmes como estratégia terapêutica na prática clínica.

III no 1,

Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva O uso de filmes como estratégi...

Description

Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva

ISSN 1982-3541 Volume XVIII no 1,

O uso de filmes como estratégia terapêutica na prática clínica.

The use of films as therapeutic strategy in clinical practice.

Viviane Vedovato Silva Rocha * Maria Carolina Fontana Antunes de Oliveira Fabiana Ferreira Guerrelhas Gonçalves PSICOLOG – Instituto de Estudos do Comportamento Ribeirão Preto/SP

RESUMO O uso de filmes em psicoterapia,

ainda é pouco difundido no meio científico.

Para ampliar esta temática,

o presente artigo teve por objetivo evidenciar o uso de filmes como estratégia terapêutica complementar às condutas tradicionais na prática clínica,

utilizando-se de um relato de caso em que a cliente apresentava dificuldade de se manter em relacionamentos duradouros.

Foram realizadas 35 sessões,

sendo observado que a utilização de filmes envolvendo temas semelhantes às queixas proporcionou a compreensão das variáveis estabelecedoras e mantenedoras do padrão comportamental da cliente.

Notouse maior engajamento da mesma,

ampliação do repertório comportamental e modificação das contingências mantenedoras de comportamentos problema.

Embora este caso permita ampliar a discussão sobre a efetividade deste recurso,

pontua-se a relevância de promover mais evidências científicas que a sustentem de fato.

Palavras-chave: cinematerapia

ABSTRACT The use of film in psychotherapy,

is still not widespread in scientific circles.

To enlarge this issue,

this article aimed to demonstrate the use of film as a complementary therapeutic strategy to traditional behaviors in clinical practice,

using a case report in which the client had difficulty to keep in lasting relationships.

Thirty-five sessions were conducted,

and observed that the use of films involved similar topics

to complaints provided the understanding of establishers and sponsors variables the behavioral pattern’s customer.

It was noted greater engagement thereof,

expansion of the behavioral repertory and modification of maintaining contingencies of problem behaviors.

Although this case allows broad discussion about effectiveness of this resource,

points up the importance of promoting more scientific evidences to support it in fact.

Keywords: cinematherapy therapeutic resources

Introdução A Psicoterapia Analítico-Comportamental é uma modalidade clínica,

baseada na filosofia do Behaviorismo Radical e orientada por evidências científicas provenientes de pesquisas básicas e aplicadas (Cavalcante,

Neno,

2003).

Os psicoterapeutas analítico-comportamentais utilizam a análise funcional para explicar as razões pelas quais os organismos se comportam,

além de ser o principal instrumento de intervenção para modificação dos comportamentos-problema (Skinner,

1953).

Para alcançar um resultado satisfatório ao longo da intervenção é necessário que o terapêuta esteja atento aos procedimentos utilizados,

segundo Silveira (2003) ensinar o cliente a analisar funcionalmente suas respostas,

modelar os comportamentos na sessão e expressar empatia/aceitação.

Os itens descristos acima nem sempre é uma tarefa fácil,

especialmente quando o cliente apresenta déficits em seu repertório.

Por isso,

inserir diferentes recursos podem facilitar a emissão do comportamento verbal do cliente,

principalmente aqueles que não podem ser discriminados por ele ou que promovam respostas de fuga e esquiva (Delitti,

2003).

Artesanato,

músicas e filmes são apenas alguns exemplos de recursos terapêuticos que podem auxiliar o profissional em diferentes etapas do processo interventivo.

Fazendo um recorte na categoria “filmes”,

apesar de não ser uma prática recente,

seu uso no contexto clínico ainda é pouco divulgado no meio científico.

Berg-Cross,

Jennings e Baruch (1990) criaram o termo “cinematerapia”,

apontando que o efeito terapêutico desta prática ocorria diretamente pelo filme à qual o paciente assistia ou pela discussão que acontecia nas sessões posteriores.

Del Prette e Del Prette (2008) descrevem,

a utilização de filmes como recurso facilitador em treino de habilidades sociais.

Hesley e Hesley (2001) destacam como algumas das vantagens desta prática a alta aderência,

maior disponibilidade de interação,

familiaridade com o cotidiano,

fornecimento de modelos frente a situações aversivas e maior facilidade de expressão de sentimentos.

Em sua revisão bibliográfica,

Oliva et al.

a compreensão mais profunda de sua personalidade e a alteração de comportamento como efeitos terapêuticos importantes observados a partir do uso de filmes.

Bras.

Comp.

Cogn.,

2016,

Volume XVIII no 1,

22-30

O uso de filmes como estratégia terapêutica na prática clínica.

Os autores listam ainda algumas técnicas cognitivo-comportamentais identificadas em pesquisas sobre o uso de filmes comerciais em psicoterapia,

discriminação de estímulos,

treinamento em habilidades sociais,

análise do comportamento de esquiva,

análise da tríplice contingência,

Apesar do uso de filmes ainda não ser uma técnica sistematizada na psicoterapia,

(1990),

Helsey e Helsey (2001) e Solomon (1995),

apontam algumas características dessa prática às quais o terapeuta deve estar atento: a) o filme deve ser indicado a uma queixa específica do cliente

b) preparar adequadamente o cliente para o filme selecionado

c) pedir ao paciente que anote sentimentos e pensamentos em relação ao filme

d) estimular a busca de autocrítica pelo paciente

e) análise do processo de mudança ocorrido com o personagem e os comportamentos deste que contribuíram para este processo.

Diante do exposto,

este artigo tem por objetivo evidenciar o uso de filmes como estratégia terapêutica complementar às condutas tradicionais na prática clínica a partir da descrição e análise de um relato de caso.

CASO CLÍNICO Caracterização da cliente Participou da intervenção uma cliente de 24 anos,

A demanda clínica principal relacionava-se ao déficit no repertório de manter relacionamentos em vários contextos,

conforme detalhamento subsequente.

Análise Funcional Ressalta-se que as análises funcionais apresentadas são hipóteses formuladas para a melhor compreensão do padrão comportamental da cliente.

Em vista disto,

foram selecionados alguns comportamentos da cliente que pertencem a uma ampla classe de respostas “dificuldade em se manter nos relacionamentos”,

que foi principal foco do processo psicoterapêutico.

As principais respostas que compõem a classe descrita acima são recusar-se a responder mensagens,

atender ligações e cumprimentar

considerar que está sempre certa

esperar o outro tomar iniciativa e atitude a seu favor

julgar e criticar as decisões das amigas

considerar que está sendo perseguida no trabalho.

Tais respostas eram antecedidas por situações que envolviam maior envolvimento afetivo

desilusões amorosas anteriores

fundamentado principalmente pelos pais terem emitido tal comportamento

alta expectativa sobre o desempenho do outro na interação com ela

presença de diversas regras e auto-regras (“amigo de verdade faz tudo pelo outro”

“se ele gostasse mesmo de mim correria atrás”

“ter dinheiro aproxima as pessoas”

“isso não é atitude de uma mãe e um pai”)

privação afetiva social e familiar (exceto a avó).

Apesar da punição negativa mediante o afastamento dos amigos e familiares,

o comportamento era altamente reforçado negativamente ao responsabilizar o outro pelos problemas de relacionamento,

isentando-se da culpa (fuga) ou evitando a frustração rompendo relacionamentos antes de acontecer algum problema (esquiva).

O fato de a avó paterna validar suas regras e direcionar atenção/cuidados

Viviane Vedovato Silva Rocha – Maria Carolina Fontana Antunes de Oliveira – Fabiana Ferreira Guerrelhas Gonçalves

excessivos reforçava positivamente tal padrão comportamental.

Intervenção A intervenção foi realizada em uma clínica-escola de um Instituto de Pós-Graduação em Psicoterapia Comportamental e Cognitiva localizado em uma cidade do interior paulista.

Foram realizadas 35 sessões,

entre junho de 2013 e junho de 2014,

baseadas nos pressupostos da Análise do Comportamento e princípios éticos.

Além da interação verbal,

foram utilizados três filmes como recurso terapêutico,

Os Croods consiste em uma animação que aborda a dificuldade de uma família primitiva em se expor a novas contingências,

vivendo sob controle de regras até serem surpreendidos pela necessidade de desen-

volvimento de novas habilidades de sobrevivência.

De repente 30,

relata o desejo de uma adolescente em se tornar uma adulta bem-sucedida e os conflitos inerentes em cada tomada de decisão ao longo da vida.

Utilizado para encerrar o processo terapêutico,

o filme PS Eu te Amo abordou o tema relacionamentos e mudanças comportamentais.

Os filmes foram exibidos durante as sessões por meio de recursos audiovisuais,

acompanhados com pipoca e refrigerante,

Foi necessário fragmentar o primeiro filme em três sessões de acordo com o tempo estimado de atendimento,

a sessão foi ampliada para que pudessem ser exibidos por completo e discutidos logo após ou na semana seguinte.

Resultados e Discussão Os resultados clínicos começaram a ser observados a partir da décima sessão e gradualmente expandi-

Tabela 1.

Filmes utilizados como recurso terapêutico durante o processo interventivo.

Bras.

Comp.

Cogn.,

2015,

Volume XVII no 3,

22-37

O uso de filmes como estratégia terapêutica na prática clínica.

dos até o encerramento dos atendimentos,

principalmente referente à discriminação dos efeitos de seus comportamentos,

redução dos comportamentos de fuga-esquiva,

generalização e aumento da exposição às contingências.

O comportamento governado por regras apresentado pela cliente trazia grandes prejuízos para sua vida

corroborando com dados apresentados por Meyer (2005) em que o seguir regras pode diminuir a variabilidade do comportamento e a sensibilidade do indivíduo às contingências concorrentes com a descrição verbal no controle do comportamento.

Com o objetivo de auxiliar a cliente a analisar as vantagens e desvantagens do comportamento governado por regras foi utilizado como recurso o fil-

Quadro 1.

Principais análises do tema “comportamento governado por regras”.

Viviane Vedovato Silva Rocha – Maria Carolina Fontana Antunes de Oliveira – Fabiana Ferreira Guerrelhas Gonçalves

O Quadro 1 descreve as principais análises realizadas junto à cliente após a exibição do filme.

Durante as análises,

a cliente comparou sua vida com a dos personagens no início do filme,

avaliando que se sentia presa em uma caverna e isolada na escuridão.

Para modificar este quadro,

a cliente foi estimulada a se expor a novas contingências conforme a personagem do filme que enfrentou a regra estabelecida por seu pai “sair da caverna sozinha não é seguro” e conhecer o mundo para além da escuridão.

Gradativamente,

a cliente foi revendo regras que a dificultavam manter relacionamentos mais duradouros,

como “homem é tudo igual”,

“se meus amigos gostassem de mim,

ligariam sempre para me convidar pra sair”,

então ela tem que vir me procurar”.

Ao longo do tempo,

a cliente se permitiu experienciar novas contingências,

conseguindo identificar novos reforçadores.

Conforme sugere Schulenberg (2003),

o uso de filmes em psicoterapia pode ajudar o cliente a questionar algumas de suas auto-regras à medida que pode observar o personagem se expondo a alguma situação concorrente com a regra,

evitando a aversividade da própria exposição,

além de permitir avaliar as consequências positivas da exposição às contingências naturais,

diferentes das descritas pela regra.

Neste sentido,

o uso de filmes pode ser um recurso terapêutico,

utilizando o comportamento do personagem como modelo de estratégias adequadas de exposição às contingências.

Além do comportamento governado por regras,

a cliente considerava que seus problemas eram os únicos relevantes,

dificultando a evolução da terapia.

A partir da ampliação da sua habilidade empática,

foi observada redução na frequência deste tipo de verbalização,

conseguindo entender que as pessoas de seu convívio também apresentavam sofrimento que necessitava de acolhimento em certos momentos,

podendo ela oferecer este suporte.

A cliente passou,

a apoiar sua mãe em situações difíceis

minimizar a frequência de emissão de julgamentos e a considerar o pedido de melhoria vindo de outrem.

A forma de expressar sua opinião e sentimentos baseada na emoção foi direcionada para uma maneira mais assertiva,

conseguindo generalizar comportamentos mais funcionais para o contexto familiar,

Ampliou-se também a discriminação do efeito que seus comportamentos produziam no ambiente,

reduzindo a culpabilização do outro,

avaliando e modificando seu padrão comportamental.

O padrão de comportamento fuga-esquiva que era emitido em alta frequência e o processo de maturidade,

foi trabalhado a partir do filme De repente 30,

conforme descrição do Quadro 2.

A cliente observou que,

estava apresentando comportamentos imaturos e incompatíveis para sua idade,

resultando em fuga de processos inerentes aos diversos contextos de sua vida.

Esta compreensão favoreceu o avanço importante no repertório de enfrentamento e tomada de decisões,

principalmente referente às determinações da avó paterna,

recebimento de críticas no trabalho e organização financeira.

Estes resultados,

corroboram com os apontamentos de Wedding e Niemiec (2003) de que o uso de filmes pode agir Rev.

Bras.

Comp.

Cogn.,

2015,

Volume XVII no 3,

22-37

O uso de filmes como estratégia terapêutica na prática clínica.

como um estímulo para o cliente falar sobre assuntos difíceis,

a redução dos comportamentos de fuga-esquiva.

lisou que não era mais necessário responsabilizar o outro por seus problemas e que era o momento de emitir novo padrão comportamental.

Barros (2003) ressalta que diferentes audiências controlam diferentes repertórios verbais,

desta maneira ao falar sobre determinado assunto é possível verificar a modificação da função do estímulo.

Conforme a cliente foi sendo exposta à sua descrição das variáveis das contingências,

assumindo a posição de ouvinte de si mesma,

Ao final do processo terapêutico,

verificou-se expressiva mudança no padrão comportamental da cliente e benefícios associados.

Para concluir o tema envolvendo relacionamentos e as mudanças ocorridas na vida da cliente ao longo do processo terapêutico,

utilizou-se o filme PS: Eu te Amo,

Quadro 2.

Principais análises do tema “maturidade”.

Viviane Vedovato Silva Rocha – Maria Carolina Fontana Antunes de Oliveira – Fabiana Ferreira Guerrelhas Gonçalves

Quadro 3.

Principais análises do tema “relacionamentos”.

Após exibição do filme,

a cliente conseguiu observar que a partir da sua mudança comportamental,

novas contingências foram estabelecidas.

Além disso,

passou a compreender que nem tudo está sob seu controle,

seria necessário partir dela as mudanças que poderiam contribuir para contingências mais reforçadoras.

As mudanças comportamentais apresentadas pela cliente ao longo do processo terapêutico vão de encontro a observação de Solomon (1995) de que a cinematerapia oferece grande potencial para melhor percepção de contingências e Oliva et al.

ca especialmente indicada em casos de problemas de interação interpessoal,

como apresentado pela cliente.

O tratamento proposto atingiu os objetivos iniciais,

garantindo maior bem-estar no relacionamento conjugal,

ocupacional e com pares a partir do desenvolvimento de um pradrão de enfrentamento mais reforçador diante situações aversivas.

CONSIDERAÇÕES FINAIS O processo psicoterapêutico,

foi um trabalho gradual com evolução positiva.

O feedback da cliente foi importante para o melhor direcionamento das práticas aplicadas,

Bras.

Comp.

Cogn.,

2015,

Volume XVII no 3,

22-37

O uso de filmes como estratégia terapêutica na prática clínica.

trodução de outros recursos terapêuticos,

favorecendo e enriquecendo o desenvolvimento do processo.

Del Prette,

(2008).

Um sistema de categorias de habilidades sociais educativas.

Paidéia,

18(41),

517-530.

Com base na literatura e nas evidências deste caso,

a cinematerapia ou uso de filmes durante o processo psicoterápico torna-se ponto de discussão importante no manejo clínico.

Apesar de não haver muitos estudos na literatura sobre a eficácia do uso de filmes na prática clínica,

esta vem sendo uma técnica adotada por muitos profissionais.

Hesley,

(2001).

Rent two films and let’s talk in the morning: using popular films in psychotherapy.

Nova York: J.

Wiley.

Meyer,

(2005).

Regras e auto-regras.

In Rodrigues,

(Eds.) Análise do comportamento: pesquisa,

Porto Alegre: Artemed.

Neno,

(2003).

Análise funcional: definição e aplicação na ter-

Por outro lado,

embora os resultados de pesquisas tenham indicado ser um modelo de intervenção terapêutica eficaz,

ainda são necessários mais estudos empíricos que os sustentem de fato.

Referências Bibliográficas

apia analítico- comportamental.

Revista Brasileira de Terapia Comportamental Cognitiva,

5(2),

151-165.

Oliva,

Vianna,

(2010).

Cinematerapia como intervenção psicoterápica: características,

aplicações e identificação de técnicas cognitivo-comportamentais.

Revista Psicologia Clínica,

37(3),

138-144.

Barros,

(2003).

Uma introdução ao comportamento ver-

Silveira,

(2003).

Pesquisa da Relação Terapêutica em Psic-

bal. Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cog-

ologia Clínica Comportamental.

Em C.

Costa,

73-82.

Sant’Anna (Orgs.),

Primeiros Passos em

Berg-Cross,

Jennings,

(1990).

Cinematherapy: theory and application.

Psychotherapy in Private Practice,

8(1),

135-57.

Cavalcante,

(1999).

Análise funcional na terapia comportamental: uma discussão das recomendações do behaviorismo contextualista.

Dissertação de mestrado,

Universidade Federal do Pará,

Belém,

Brasil.

Análise do Comportamento e Cognição,

Santo André: ESETec.,

139-148.

Schulenberg,

(2003).

Psychotherapy and movies: on using films in clinical practice.

Journal of Contemporary Psychotherapy,

35–48.

Skinner,

(1953).

Ciência e Comportamento Humano.

São Paulo: Martins Fontes.

Delitti,

(2003).

Estratégias Auxiliares em Terapia Comporta-

Solomon G.

(1995).

The motion picture prescription: watch

Em M.

Brandão,

Conte,

this movie and call me in the morning.

Santa Rosa:

Brandão,

Ingberman,

Aslan.

Oliane (Orgs.),

Sobre Comportamento e Cognição.

Wedding D.

(2003).

The clinical use of films

A História e o Avanço,

a Seleção por Consequências em

Journal of Clinical Psychology.

59(2),

Ação.

Santo André: ESETec.,11,

204-209.

207-15.

Recebido em 12 de fevereiro de 2015 Revisado em 18 de fevereiro de 2015 Aceito em 10 de outubro de 2015

O USO DE TEXTOS AUTÊNTICOS EM UM CURSO DE INGLÊS INSTRUMENTAL PARA CONVERSAÇÃO THE USE OF AUTHENTIC TEXTS IN AN ESP COURSE ON CONVERSATION

O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA COM TEXTOS AUTÊNTICOS - UEL

Uso de textos autênticos na formação inicial do professor de língua inglesa Inês Confuorto1 Amélia Maria Jarmendia2 INTRODUÇÃO A formação de  Los avisos y afiches son textos auténticos que los niños suelen encontrar en todos interrogar el mundo que los rodea haciendo espontáneamente

O USO RORTYANO DE DEWEY

Karl Marx como John Dewey - Centro de Estudos de Dewey e

tonomía privada 6 En segundo lugar, Dewey versus Foucault 7 En tercer lugar, Foucault Es decir, según Rorty dicho uso de poder correspondería al análisis Há, portanto, um interesse rortyano que pode ser um interesse as lutas de classe

O Valor do Relacionamento com o Cliente CRM

1 MARKETING DE RELACIONAMENTO E - Anpad

de suas ramificações que é o marketing de relacionamento onde se é criado valor percebido Define se lealdade como um processo voltado às estratégias e   Com o objetivo de estudar as caraterísticas dos relacionamentos B2B num contexto internacional, faz se uma revisão da literatura sobre o valor dos 

O VENDEDOR DE SONHOS CHAMADO AUGUSTO CURY PDF

DADOS DE COPYRIGHT

s3 amazonaws e awslibrary23 o vendedor de download o vendedor de sonhos chamado augusto cury pdf Best of all, they are entirely free to find, use and download, so there is no cost or stress at all o vendedor de sonhos chamado augusto cury PDF

O verbo e o gesto: corporeidade e performance nas folias de reis

A experiência relatada por Roberto Rabêllo com o TEATRO

scielo mec pt pdf etn v20n3 v20n3a05 pdf O VERBO E O GESTO CORPOREIDADE E PERFORMANCE NAS FOLIAS DE REIS 541 vezes, o corpo enfrenta durante a jornada serve para lembrar o martírio e o sofrimento vividos por Jesus, José e Maria, bem como pelos três

o w n e r s m a n u a l

HSAs and Certain Business Owners - Benefit Strategies

An original and one (1) copy of this application and supporting documents must be filed at the Division of Housing and Community Renewal (DHCR) office  the printing of this owner's manual If the vehicle has the Duramax diesel engine, see the Duramax diesel supplement for additional and

O.21 - Avaliação da rugosidade superficial de

AVALIAÇÃO DA RUGOSIDADE SUPERFICIAL DE CIMENTOS IONOMÉRICOS

iij br pdf article 124 pdf Avaliação da perda de peso, da rugosidade de superfície de placas de titânio, esmalte bovino, resina acrílica para base de prótese convencional e sobre implantes e PMMA após teste de abrasão por escovação simulada Revista Innovation Vol 4

O.48 - Enxertos intrabucais para reconstrução de áreas edêntulas ...

Reconstrução de fendas alveolares com enxerto de - spemd

6 maio 2014 reconstrução de maxila e mandíbula são baseadas de acordo com o Apresentando se em 16,6 dos 48 enxertos reali zados (Tabelas 1, 2  Com isso, os enxertos ósseos provenientes de áreas doadoras intrabucais ou extrabucais, enxerto e

OAB GUARAPUAVA RUA CORONEL SALDANHA, 1903 CEP: Guarapuava/PR Telefone: (42)

Ata Conjunta das 5ª, 6ª; 7ª; 8ª; 9ª e 10ª Reuniões

oabguarapuava br wp content uploads 2015 02 MARÇO OAB GUARAPUAVA RUA CORONEL SALDANHA, 1903 CEP 85010 130 Guarapuava PR Telefone (42) 3623 3451 24 03 2016 Transferência do caixa da subseção p a conta do banco oabguarapuava br wp content uploads

Home back10301031 1032103310341035 Next

o filme na sala de aula: um aprendizado prazeroso - SEED

uma proposta de utilização do filme nas aulas de história para que o para o uso do cinema na educação é que o cinema motiva para o processo de pedagógica, por meio da utilização de filmes como elementos estratégicos para o

http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/1532-8.pdf

Cinema e História: uma experiência a partir do uso de - SEED

proposta do projeto foi verificar o potencial do uso de recortes de filme em de novas estratégias de desenvolvimento do processo de ensino aprendizagem é

http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/cadernospde/pdebusca/producoes_pde/2013/2013_unioeste_hist_artigo_jane_marcia_benedete.pdf

a utilização de filmes/séries como estratégia para - Editora Realize

motivem a aprendizagem dos discentes tomando como base a utilização de cenas de filmes e séries Para obtenção dos resultados da temática proposta, este 

http://www.editorarealize.com.br/revistas/conedu/trabalhos/TRABALHO_EV117_MD1_SA15_ID4356_31082018004315.pdf

<